Investigação e monitorização nas RP’s

A investigação é a primeira de quatro etapas do processo de Relações Públicas. É a fase em que toda a base de trabalho é elaborada e estruturada. A investigação é algo constante e que nunca está terminado, como tal, tem que ter sempre a monitorização a acompanhá-la. Mas que diferenças sofreram elas desde o surgimento da era digital?

Investigação – Antes e depois do digital

A investigação é uma das partes fundamentais nas Relações Públicas. Os problemas e as oportunidades surgem todos os dias nesta área e há que saber lidar com eles. Desta maneira, a investigação é a melhor e mais acertada maneira de começar a estruturar a forma como se resolverá uma situação. Como é que eu saberei a melhor forma de comunicar um produto ou gerir uma crise se não conhecer as suas causas ou tudo o que está por detrás daquilo que eu tenho para comunicar?

Nas Relações Públicas existe um modelo que segue 4 etapas: a investigação, a planificação, a ação/comunicação e a avaliação. Como seria de esperar, a investigação é a primeira destas quatro fases a ser pensada e concretizada. Esta é a fase onde toda a pesquisa é elaborada e onde se criam os cadernos de investigação, onde consta a informação fundamental acerca de uma empresa, dos seus produtos, da sua concorrência, do seu setor e também onde se analisam todas as informações que possam ter levado ao problema ou oportunidade. Todas as 4 etapas deste processo são muito importantes e têm o seu valor mas a investigação tem um papel especial pois ela irá guiar todo o trabalho. Uma boa investigação é meio caminho para o sucesso de todo o trabalho. Sem investigação não se consegue resolver nada, pois investigar é conhecer e sem conhecimento nada se alcança.

“Toda a arte e toda a investigação, assim como toda a ação e toda a escolha, têm em mira um bem qualquer. E por isso foi dito, com muito acerto, que o bem é aquilo a que todas as coisas tendem.”

― Aristóteles

Com o surgimento da internet e da era digital, a investigação sofreu algumas alterações. Antigamente esta passava muito pelo trabalho de campo e por investigar presencialmente todas as situações. Atualmente, com o acesso à internet, muita da informação que só era facultada em trabalho de campo, encontra-se à distância de um clique. Muita da investigação que é feita, hoje em dia, pode ser feita com consultas em blogues, foruns ou websites. Caso não se encontre nada nestes, pode fazer-se um inquérito e aplicá-lo nos social media, por exemplo. O trabalho de investigação, com o surgimento da internet, tornou-se muito mais flexível, rápido e menos trabalhoso.

Contudo, há um aspeto importante a realçar. Nem sempre a informação que está na internet é a mais próxima da realidade, pelo que, fazer uma investigação apenas com acesso a estes meios, pode tornar-se perigoso. Nada substitui o trabalho de campo pois o contacto pessoal com os acontecimentos é muito mais credível do que o contacto virtual com realidades que podem, por vezes, não ser as mais acertadas.

Monitorização – #PRstack

Sendo a investigação um processo que nunca está concluído e que deve ser constantemente atualizado, é necessário haver monitorização. Como tal, com o surgimento da internet, foram também surgindo ferramentas que auxiliam, não só, a investigação, como também auxiliam a monitorização. É o caso do #PRstack. Este é um website que tem como fim auxiliar as Relações Públicas com ferramentas de investigação e monitorização. Ao todo, o site conta com mais de 250 ferramentas, todas muito úteis nesta área. Sendo que é fundamental ter em conta o digital e a monitorização de todos os conteúdos digitais, esta plataforma é essencial para qualquer profissional de Relações Públicas.

prstack_square-544x544

#PRstack – A minha experiência

Estando eu a dedicar os meus dias e o último ano e meio às Relações Públicas e estando eu a tentar compreender e reter toda a imensidão de informação, ferramentas e plataformas que fazem parte deste mundo, é essencial, não só, falar do #PRstack, como deixar o testemunho da minha experiência. Como tal, decidi selecionar 3 das ferramentas deste site e testá-las, sendo que as escolhidas foram: feedly, tweetdeck e Google Alerts. É importante realçar, desde já, que as ferramentas escolhidas têm em vista auxiliar na investigação e a monitorização nas Relações Públicas.

Feedly – O feedly é uma plataforma que permite ao utilizador seguir os blogs que queira e conseguir aceder a todos os posts que estes publiquem. Mas de que forma este site é uma ferramenta importante para as RP’s? É importante pois permite seguir os blogs dos líderes de opinião em Portugal e no estrangeiro, uma vez que os blogs são, cada vez mais, uma forma grande de influência. Imaginemos uma situação de crise com uma marca em que diversos bloggers começam a escrever sobre a situação. Com esta plataforma conseguimos controlar tudo o que é dito, basta pesquisarmos o nome do blog ou do tema em particular e aparecerá o blog, pelo que se pode ainda aceder aos comentários.

Tweetdeck – Esta plataforma serve como um gerenciador de social media como o Twitter e o Facebook. Ele permite que se associem as contas e, através de colunas categorizadas que são criadas, consegue seguir-se tudo o que está a acontecer em ambos os social media. O Tweetdeck funciona em colunas, sendo que podem ser categorizadas consoante os diferentes interesses do utilizador. É possível criar uma coluna para seguir as notificações, outra com os posts e ainda é possível fazer tweets ou posts através da plataforma, evitando a necessidade de aceder às páginas oficiais. Permite ainda a criação de uma coluna com uma categoria em específico, o que facilita o seguimento ao segundo da mesma. Para um profissional de Relações Públicas esta plataforma é quase um paraíso. Se ocorrer alguma crise, basta apenas organizarmos as categorias do Tweetdeck e conseguimos ver tudo o que é dito. Ao mesmo tempo, facilita-nos a gestão de social media uma vez que em apenas um local conseguimos gerir várias páginas.

Google Alerts – Esta plataforma, tal como o nome indica, cria alertas para aquilo que selecionarmos. O Google Alerts é uma ferramenta que consiste em monitorizar tudo o que é dito acerca de um determinado assunto ou tópico. Para testar a plataforma, decidi incidir sobre um dos temas centrais da semana no mundo da música: o concerto do Bruno Mars que acontecerá dia 4 de abril. Ao inserir no motor de busca este nome, as notícias foram imediatas. No site surgiu logo a opção de criar este nome num dos meus tópicos de alerta. Ao ativar essa funcionalidade recebi no meu email, imediatamente, o resumo de todas as notícias que saíram no dia da minha pesquisa acerca do tema. O mesmo aconteceu diariamente.

Pela minha experiência, considero que esta ferramenta é muito útil para a investigação e monitorização das Relações Públicas, principalmente quando se quer estar a par de tudo aquilo que sai na imprensa acerca do problema ou da oportunidade que estamos a trabalhar.

BM

As Relações Públicas necessitam de uma constante investigação e monitorização e o surgimento da internet facilitou em muito todo este processo. Conseguiu fazer com que a investigação se tornasse mais flexível e acessível. Outro fator que contribuiu muito foi o #PRstack. Como deu para constar, esta plataforma é essencial para qualquer profissional desta área. Eu própria, enquanto futura profissional de Relações Públicas, considero que o #PRstack será essencial para o meu dia a dia e que irei usar e abusar dele.


Catarina Freire

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Create a free website or blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: