A estratégia é um maracujá

A sério? Um maracujá? A estratégia é um maracujá? Mas que raio, este blog agora virou um consultório psiquiátrico? Só posso estar louca para me “lembrar” de escrever sobre duas coisas que em nada se associam. Ou será que não é bem assim?

Desde que iniciei a licenciatura que tenho vindo a ouvir falar acerca de estratégia de uma forma que até então nunca tinha ouvido. No início deste semestre tive uma aula em que o tema central era a estratégia. O professor queria ouvir as nossas definições daquilo que é estratégia e a verdade é que nenhuma encaixava naquilo que ele queria. Nesse dia saí da escola a sentir que não sabia nada, então decidi que tinha que ler o livro A arte da guerra porque eu não podia ser assim tão burra! Já comprei o livro há umas semanas mas este post deu-me o mote para o ler.

Bem, então o que é isto da estratégia, afinal? Prefiro não optar por listar as mil definições que se podem encontrar ao simplesmente colocar a palavra “estratégia” no Google. Não é isso que eu quero. Até porque a origem desta palavra está associada à guerra. Se pensarmos bem, há 500 anos atrás este termo só era utilizado na guerra. A definição de estratégia era a forma como um certo general iria enfrentar os seus rivais, como iria ordenar as suas tropas e de que forma iriam agir. Hoje em dia este termo mudou completamente o seu sentido, embora ele se tenha adaptado do seu sentido original. Focando mais na área das Relações Públicas, a estratégia é fundamental para toda e qualquer empresa. Ela é bastante importante uma vez que ajuda as empresas a criar uma forma de se organizarem, agirem e atuarem. A estratégia é o que diferencia uma boa empresa de uma empresa rival má. Há uma frase no livro de Sun Tzu que pode resumir tudo o que quero dizer sobre estratégia, onde ele diz que “todos os homens podem ver as táticas pelas quais eu conquisto, mas o que ninguém consegue ver é a estratégia a partir da qual grandes vitórias são obtidas”.

18159275_1455993371089582_2101803594_o

O mundo empresarial enfrenta batalhas diárias com os seus concorrentes, tal como acontecia com a guerra. Mas o que pode então a estratégia fazer para ajudar neste aspeto? A verdade é que a estratégia é tudo o que vai fazer a diferença. Um bom estratega não comete erros e, segundo A arte da guerra, é isso que assegura a sua vitória, pois a concorrência é derrotada pela forma de atuar perfeita da empresa. Mas para isto acontecer, é muito importante esta esteja preparada, forme a sua estratégia e a teste, verificando se é mesmo invencível, para não correr o risco de ser derrotada pela concorrência. Daí a importância da estratégia, pois ela vai fazer com que uma empresa se diferencie.

Ok, isto está tudo muito bem e muito bonito, mas agora estão vocês a pensar: se esta miúda está a falar de guerra, porque é que escreveu um título sobre maracujás? Quase que parece que este blog está a virar um folheto de supermercado com publicidade enganosa. Mas calma, não pensem que eu estou a ficar doida, havemos de chegar ao que interessa. E vai ser agora.

O dicionário Priberam diz que o maracujá é a designação comum a várias plantas trepadeiras da família das passifloráceas e que este fruto é originado por esta planta. O maracujá é definido como a flor da paixão. Então como é que consigo associar um maracujá, que supostamente é algo doce, comestível e associado ao amor, com estratégia, um termo que surgiu por causa de guerra? Pronto, já percebi que não posso ir por aqui, nunca vou conseguir nenhuma associação pelas definições.

O meu melhor amigo Google foi quem realmente me fez ver que a estratégia é um maracujá. Bastou pesquisar esta palavra que me apareceram umas quantas variedades de maracujá, desde o maracujá amarelo ao maracujá roxo, até ao maracujá doce, maracujá maçã e mais uns tantos, que podia enumerar mas não há necessidade disso. Depois das variedades, surgem as receitas: “Incrível mousse de maracujá, cremosa e espessa”, “Limonada de maracujá, a perdição deste verão”.

Continuo a minha pesquisa e aparecem todos os benefícios e usos do maracujá. Podia estar o dia todo a pesquisar que iriam surgir mil e uma utilidades e variedades. Mas esta pesquisa fez-me concluir que este fruto, para além de ter muitas variedades, tem bastantes usos, tal como uma estratégia. Senão vejamos, quantas estratégias existem no mundo? É obvio que não sabemos e até Sun Tzu disse isso, mas sabemos que cada empresa tem a sua estratégia, e que ela pode ser copiada ou adaptada, assumindo outras formas. Tal como o maracujá, existe o maracujá amarelo e o maracujá roxo, mas eles são muito semelhantes no aspeto, só se adaptam na cor e provavelmente no sabor. O mesmo acontece com os usos deste fruto. Pode curar doenças, servir para fazer limonada, mousse, etc etc, tal como acontece com a estratégia pois ela pode ser utilizada apenas para um caso em específico ou servir várias utilidades, que é o seu objetivo principal. As empresas pretendem ter uma estratégia que se molde, tal como os usos do maracujá se moldam às diferentes receitas e mezinhas caseiras para curar doenças.

maracuja-620x413

Resumindo e concluindo, a estratégia é uma ferramenta fundamental para todas as organizações, é esta que vai fazer com que uma empresa se diferencie e se consiga destacar num determinado mercado. Mas as estratégias sáo todas diferentes e moldam-se a vários ambientes e fatores, tal como o maracujá, que tem diversas variantes e pode ser aplicado em imensas receitas ou como tratamento para doenças. E assim, de repente, aquilo que parecia saído da cabeça de uma maluca em descompensação, tornou-se em algo que faz todo o sentido e é uma realidade. Sinto-me aliviada…


Catarina Freire

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

Up ↑

%d bloggers like this: